Se você, como muitos empreendedores, está sofrendo com o faturamento em queda livre, é hora de tomar uma atitude, rever certos processos e garantir que a causa do problema seja identificada. Com a pandemia, essa situação tende a se agravar, o que requer uma certa dose de reinvenção e de entendimento sobre o seu público-alvo.

Por que o faturamento cai?

Existem inúmeras causas para a queda no faturamento. Até certo ponto, isso é normal, desde que ele seja retomado. A sazonalidade interfere nisso e compreender os períodos de maior entrada e saída de dinheiro do seu negócio é fundamental. O que não pode é acontecer uma hemorragia financeira, quando seu faturamento despenca e você não tem ideia de por que e para onde seu dinheiro está indo!

  • Causas comuns incluem:
  • Desinteresse do público em serviços e produtos;
  • Problemas na imagem da sua empresa;
  • Pouca atratividade nas suas ofertas;
  • Concorrentes com maior influência no mercado;
  • Má gestão financeira;
  • Fatores externos.

Veja, de todos esses itens listados, o único que não está totalmente dentro do que você pode controlar é “fatores externos”. Os fatores externos incluem crises financeiras e sanitárias, problemas com seu estabelecimento ou na região em que você atua, falta de suprimentos, entre outros.

Mesmo assim, é possível prever certos cenários e se preparar para eles. Já dentro do que você pode controlar, é uma questão de ter processos bem desenhados e garantir que a gestão esteja em dia.

Meu faturamento está caindo, o que posso fazer?

Fale com seu contador

O primeiro passo é se aproximar da sua contabilidade. O contador pode entender o que está acontecendo e diagnosticar o problema de primeira. Experiência e conhecimento contam muito nesses casos, e com um verdadeiro raios-x da sua empresa, é possível identificar a causa da hemorragia financeira.

Uma dica é olhar para o DEFIS e ver se todas as informações estão preenchidas, além de observar certos processos que envolvem a saúde contábil e fiscal do seu negócio, como o controle de fluxo de caixa e o planejamento tributário. De repente, sua tributação está errada, e pode ser possível recuperar o dinheiro perdido.

Entenda melhor o seu público-alvo

Vender sem entender o público-alvo é como tentar fazer um gol de olhos vendados em um estádio, enquanto alguém te gira para te deixar tonto. Em suma, pode até acontecer, mas será um golpe de sorte. E um dia sua sorte acaba!

Compreender seu público-alvo é fundamental para construir seu estoque de produtos, trabalhar a comunicação dos seus serviços e garantir que suas ofertas sejam formuladas e precificadas de acordo com os interesses do consumidor em potencial. Não dá para seguir uma “receita de bolo” e contar com a sorte, é preciso entender as necessidades e anseios do seu público-alvo. O que seus concorrentes oferecem? Como você faz para demonstrar o que seu negócio tem de bom?

Trabalhe bem a sua comunicação

Ainda de acordo com a dica anterior, é bom usar a internet e a comunicação a seu favor!

Quando você entende as necessidades dos seus clientes e do público-alvo como um todo, pode gerar ofertas de valor. Isso não significa criar promoções, nem nada do tipo. A oferta de valor é algo que faz com que seus consumidores olhem para a sua marca e vejam que vale a pena consumir algo dela. Se você já tiver alguma presença digital, investir em conteúdos informativos, demonstrar o funcionamento de certos produtos, realizar recomendações semanais, entre outras dicas, é muito interessante.

Mesmo que sua presença digital seja pequena, vale a pena investir em anúncios nas redes sociais, segmentando bem para alcançar a audiência perfeita.

Não exagere nas ofertas

Agir com desespero nunca é o caminho. É preciso pensar em cada etapa da sua oferta de produtos ou serviços. As redes sociais são um lugar para socializar. Seu blog é um local para informar, e seu site deve ser uma vitrine que reúne tudo que você tem, a informação, os produtos ou serviços e formas de contatar sua empresa.

A produção de conteúdo e até os anúncios devem ter essa abordagem mais informativa e consultiva. É possível anunciar promoções e produtos de forma direta? Sim, apenas tenha cuidado com a proporção. Manter 80% do seu conteúdo informativo e 20% voltado a vendas é um bom caminho.

Mas, a curto prazo, a melhor saída para conter a hemorragia financeira é contar com o apoio do seu contador. Sem ele, nada funciona! Então, converse com a contabilidade, entenda o que está acontecendo e trabalhem juntos para melhorar sua saúde contábil.

Compartilhe!